Sucesso da Rede de Quiosque de Açaí Frozen Waku Sese

Há seis anos a Waku Sese estudou uma maquina para inserir no mercado, voltado para o açaí frozen. O empreendimento foi um sucesso, em quatro anos a empresa passou [...]

Há seis anos a Waku Sese estudou uma maquina para inserir no mercado, voltado para o açaí frozen. O empreendimento foi um sucesso, em quatro anos a empresa passou de um para onze quiosques de açaí frozen, espalhados por shoppings e supermercados no estado da Amazônia.

Uma das razões de seu sucesso pode estar resumida em seu cardápio. Entre os adicionais comercializados estão o xarope de guaraná, leite condensado, banana em calda, granola, castanha de caju e tapioca. Com todos esses opcionais na venda do copo de açaí frozen, a empresa vende em cada quiosque de açaí, a média de cem copos ao dia.

Carlos Eduardo sócio da Waku Sese, conta sobre os processos de qualidade da empresa. Primeiramente o açaí é produzido em fábrica própria, em seguida há uma nutricionista que acompanha todos os quiosques semanalmente, garantindo todas as condições necessárias de higiene e processos relacionados à qualidade do produto. O numero de funcionários contando com a fábrica já chega a cem e a empresa já planeja novidades para expandir sua marca.

  • Cardápio Quiosque de Açaí Frozen Waku Sese

Atualmente a empresa conta com duas opções de copos de açaí frozen, nos tamanhos de 300ml vendido a R$ 6,00 e 500ml a R$ 8,00.  Para acompanhamento é comercializado o xarope de guaraná, leite condensado, banana em calda, granola, castanha de caju e tapioca.

  • Franquia de Açaí Waku Sese

A Waku Sese planeja investir em novos estilos de quiosques, cardápio e formato de franquia de açaí. O projeto contará também com uma espécie de açaí gourmet, visando à clientela ainda mais exigente. As primeiras lojas franqueadas devem surgir nos estados de Fortaleza e Salvador, comenta Carlos Eduardo sobre a futura expansão.

Proprietário da Waku Sese conta a História da Empresa

Em 2012 o palestrante Ewerton Larry Ferreira, que também é responsável pelos Agentes Locais de Inovação (ALI), programa desenvolvido pelo Sebrae, convidou o proprietário da marca Francisco Daou a compartilhar um pouco da historia da empresa.

Francisco conta que seu primeiro desafio como microempresário foi de como vender açaí em um shopping, sem oferecer ao cliente o tradicional açaí na tigela com banana e tapioca. Gastou um tempo observando outros quiosques e assim criou o quisque Waku Sese. Confeccionando um quiosque sofisticado, em bancadas de inox, com maquinas expresso frozen, copos plásticos personalizados, comercializando açaí de qualidade com variedade de adicionais e coberturas. O projeto foi um sucesso e atualmente o Waku Sese, conta com 16 pontos de venda, em um total de 14 quiosques de açaí frozen e dois restaurantes, conta Francisco.

O proprietário trabalha com açaí desde 2002, e revela que o início realizou algumas tentativas em fazer dar certo o negócio e teve muita dificuldade. Conta o empresário que teve experiência com venda de confecções, mas seguiu o conselho do próprio pai, Jorge Daou, de sair do ramo e investir em outro segmento de mercado. Primeiro Francisco abriu uma lanchonete regional, no qual um dos produtos de destaque foi o açaí.

“Enquanto todos os meus amigos empreendedores olhavam para franquias de fora, notei que o mundo olha para dentro da Amazônia. Foi então que resolvi investir em uma fruta da região, fazendo o processo de beneficiamento do açaí”, explicou.

O empresário teve a ideia inovadora ao investir em sua fábrica, começou a produzir o açaí com mais qualidade e consequentemente reduziu os custos para revenda em sua rede. O proprietário conta que a fábrica veio no mesmo período do restaurante do Vieiralves, devido tal necessidade que surgiram os quiosques e hoje produz entre 20 a 30 toneladas por mês de polpa do açaí, consumido quase que na sua totalidade pela rede Waku Sese.

Origem do nome Waku Sese

Após desfazer duas sociedades, Francisco teve que lançar uma marca própria e buscou inspiração na saudação da tribo Sateré-Mawé. O nome Waku Sese expressa o sentido de estar tudo bem e é uma palavra com grande poder dentro da cultura indígena. Conta que teve uma conversa com um cacique Sateré, ele chegou para ele e disse: Francisco, seu açaí não só Waku, que significa algo bom, seu açaí é Waku Sese, ele é muito bom. Foi naquele momento, após noites sem dormir a procura de uma identidade forte para empresa, que decidiu que o nome seria Waku Sese, relatou o empresário que hoje já atua nos segmentos de produção, distribuição e comercialização do açaí.

Video sobre o Quiosque de Açaí Waku Sese

Deixe um comentário

*